Mulher procura em puebla





Cristo «é a nossa paz» ( Ef 2, 14).
«Convive Anahí de Velasco con niñas y niños de la escuela "Delfina Rincón.153 154 Como Primeira-dama de Chiapas 155 começou uma série de visitas a diferentes escolas e centros comunitários de Tuxtla Gutiérrez.O namoro durou um ano.Depois, ao verem-No ressuscitado, «encheram-se de alegria» ( Jo 20, 20).121 Ibid., 43:.Com efeito, um amor que não sentisse a necessidade de falar da pessoa amada, de a apresentar, de a tornar conhecida, que amor seria?Maternidade Anahí confirmou estar grávida do primeiro filho no dia 11 de setenbro de 2016 onde foi capa da edição mexicana da revista Caras.Consideremos agora a pregação dentro da Liturgia, que requer uma séria avaliação por parte dos Pastores.Assim é, porque cada povo é o criador da sua cultura e o protagonista da sua história.Este convite não há-de ser obscurecido em nenhuma circunstância!A entrega de Jesus na cruz é apenas o culminar deste estilo que marcou toda a sua vida.A palavra é, essencialmente, mediadora e necessita não só dos dois dialogantes mas também de um pregador que a represente como tal, convencido de que «não nos pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus, o Senhor, e nos consideramos vossos servos, por amor.A crise mundial, que investe as finanças e a economia, põe a descoberto os seus próprios desequilíbrios e sobretudo a grave carência duma orientação antropológica que reduz o ser humano apenas a uma das suas necessidades: o consumo.
Este âmbito materno-eclesial, onde se desenrola o diálogo do Senhor com o seu povo, deve ser encarecido e cultivado através da proximidade cordial do pregador, do tom caloroso da sua voz, da mansidão do estilo das suas frases, da alegria dos seus gestos.
Lembremos também com quanta convicção o Apóstolo São Tiago retomava a imagem do clamor dos oprimidos: «Olhai que o salário que não pagastes, aos trabalhadores que ceifaram os vossos campos, está a clamar; e os clamores dos ceifeiros chegaram aos ouvidos do Senhor do universo».




Já não se pode afirmar que a religião deve limitar-se ao âmbito privado e serve apenas para preparar as almas para o céu.Um olhar de fé sobre a realidade não pode deixar de reconhecer o que semeia o Espírito Santo.A Igreja, que é discípula missionária, tem necessidade de crescer na sua interpretação da Palavra revelada e na sua compreensão da verdade.Não é opção progressista pretender resolver os problemas, eliminando uma vida humana.Além disso, o Espírito Santo infunde a força para anunciar a novidade do Evangelho com ousadia ( parresia em voz alta e em todo o tempo e lugar, mesmo contra-corrente.Mas, se ficamos encurralados nele, perdemos a perspectiva, os horizontes reduzem-se e a própria realidade fica fragmentada.Não podemos ignorar que, nas cidades, facilmente se desenvolve o tráfico de drogas e de pessoas, o abuso e a exploração de menores, o abandono de idosos e doentes, várias formas de corrupção dá incontri treviso e crime.Como dizia João Paulo II aos Bispos da Oceânia, «toda a renovação na Igreja há-de ter como alvo a missão, para não cair vítima duma espécie de introversão eclesial».A Boa Nova é a alegria dum Pai que não quer que se perca nenhum dos seus pequeninos.Se cai esta convicção, não restam fundamentos sólidos e permanentes para a defesa dos direitos humanos, que ficariam sempre sujeitos às conveniências contingentes dos poderosos de turno.Cultura, pensamento e educação 132.
196 Não nos serve uma abertura diplomática que diga sim a tudo para evitar problemas, porque seria um modo de enganar o outro e negar-lhe o bem que se recebeu como um dom para partilhar com generosidade.
Às vezes interrogo-me sobre quais são as pessoas que, no mundo actual, se preocupam realmente mais com gerar processos que construam um povo do que com obter resultados imediatos que produzam ganhos políticos fáceis, rápidos e efémeros, mas que não constroem a plenitude humana.


[L_RANDNUM-10-999]
Sitemap